22/05/2013

de de

Sinopse: Morte ao poder

         Sinopse: Esta é uma obra de ficção inspirada em fatos reais ou absolutamente uma fantasia? Um escritor em surto psicótico, clarividência, delírios, nostalgia, anarquia ou é uma lavagem cerebral? Tristemente. Logicamente. Evidente a qualquer um que queira enxergar... O exposto aqui sentencia que qualquer semelhança com a realidade não é apenas uma mera coincidência, e sim, uma verdade asquerosa, envolvendo grandes poderosos do país. O verdadeiro Brasil, minuciosamente detalhado e ultrajantemente repugnante!
Gilberto escreveu uma carta antes de agir dominado pela emoção. Essa é a parte final da carta.

...Faço parte da sociedade e estamos sendo ludibriados descaradamente! Estamos inertes. Acomodados em nossos sofás, preguiçosamente. Conformamo-nos à corrupção, falcatruas, ilicitudes, mentiras deslavadas, contravenções e crimes. O Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Publico, líderes religiosos, líderes sindicais, magnatas, a imprensa: esses poderosos estão corrompidos! O poder tem seu custo e seu preço. E os íntegros, caíram em vício! Acabaram cedendo a um valor: ao prestarem favores, ao deverem favores e ganhando por isso. Somos o povo, a massa, a base. Temos o poder de mudar a história! Mas os idealistas, corajosos, pacificadores e visionários acabam sendo comprados. E os que não cedem a um valor, são mortos. Os justos têm suas honras postas à

prova e os heróis acabam virando vilões. É um cenário que lobos devoram leões. Os governantes, os poderosos e influentes são os “cabeças” de todos os crimes. Líderes falsos, descarados, covardes, gaturnos, hipócritas e zombeteiros. Gozando dos famulentos, débeis, inocentes e esperançosos. Somos iludidos com promessas e os nossos sonhos nos impedem de raciocinar. Mas quando a mente é ativa e vemos o óbvio; há a deficiência do nosso corpo sadio! A sociedade preguiçosa cruza os braços. Somos habituados a costumes corruptos e ilícitos. Líderes íntegros são raros, quando os desonestos que deveriam ser! Mas somos acostumados aos vícios de sermos lesados e acomodados à cultura da impunidade e imoralidade. Isso nos leva a um fato: os merecemos! Estamos aceitando o descaradamento dos que têm poder. Já que apenas fingimos nos importar. Na realidade, nada fazemos contra as canalhices dos poderosos. O poder e o crime é um caminho de ida e um mesmo caminho! Demos tamanhos poderes aos lobos, que eles se tornaram inabaláveis. Porém, os cínicos se esquecem de que fomos nós, a base, que os colocamos no topo, e temos o dever moral de arrancá-los dos seus tronos; e faremos, já que eles se demonstram incapazes de mudar e se tornarem seres humanos melhores. Todo o ápice: em todas as direções, de todas as instituições está podre, e as carniças fedem ao ponto de nem os urubus quererem suas carnes de bestas desgraçadas e imundas! Todos os nãos contaminados que ousam ultrapassar o limite da base acabam sendo infectados pelo germe corrupto solto no universo dos poderosos. Ninguém do ápice está imune à praga! Se subirmos, somos alvos atingidos. Se ficarmos, permanecemos massacrados. Nem mesmo os heróis possuem força para sobreviverem ao câncer incurável na política. Os heróis desbravadores e os cordeiros virtuosos, ao saírem da base ao degrau superior da elite governante, influente, poderosa e manipuladora: todos viram lobos a devorar os leões. Leões que antes eram seus amigos. Ninguém escapa à repressão, tirania, ganância, gula e soberba. Os homens dignos acabam se transformando em monstros. Quase 192 milhões de pessoas são atingidos por esses criminosos, fingidores, mentirosos e egoístas. O Brasil padece de ajuda e só restou uma alternativa: O poder tem que morrer! Ninguém do ápice deve escapar! Morte ao poder. Entre tantos cretinos, evidentemente, há heróis ainda não corrompidos! Mas esses heróis altruístas, se dignos: aceitarão a morte! Já que é impossível discernir os honrados dos crápulas.  É a única maneira de se exterminar a praga em um sistema de depravados, contaminados pela ganância. Não adianta apenas eliminarmos o sistema, temos que extinguir a cúpula! Todos que estão no poder devem morrer! E os altruístas heróis visarão o bem comum. Não fugindo das próprias extinções. Após a matança, teremos a história para ensinar aos futuros líderes o que acontecerá se vinher a surgir novamente o mal no poder, e teremos a força para repetir o mesmo feito, se necessário ao melhor para a nação. Essas sem-vergonhices acabam a partir de hoje! Estou disposto a eliminar o mal neste país e darei o primeiro passo. Se a imprensa depois me condenar como monstro: fui necessário surgir! Já estou no limite da honra. Chega! Todos irão morrer. O mal irá acabar. Que o povo me ajude e que Deus me abençoe. A faxina no Brasil vai começar. E não amanhã, mas agora.

Com veracidade...

Gilberto (o monstro)

Editora: Deuses
Páginas: 336
Edição: 1º - 2013
Autor: Sales Rodrigues
Preço: R$34,90
Para comprar acesse o site:  www.editoradeuses.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Seja bem-vindos ao Amanda's Tale, deixe seu recadinho, que é um prazer ver a opinião de vocês, eu não repondo por causa do layout do meu blog, mas se tiver um blog é só deixar o link abaixo da mensagem que você poderá ter certeza que retribuirei a visitinha.

Beijos,
Volte Sempre!

LINK-ME

Amanda's Tale - Livros
 

REDES SOCIAIS

FOLLOW