27/06/2017

de de

Entre o passado e o coração - Stefani Banhete

Sinopse: Amie já foi parte da nobreza, embora nunca tenha realmente pertencido a ela. A morte prematura de seu pai deixou a ela e sua mãe na penúria. Após perder a mãe e cometer pecados inconfessáveis, ela vive apenas para as crianças do orfanato e a lembrança de um rosto iluminado pelas lâmpadas de rua. Connor tem um passado que pesa em seu coração, e esse passado lhe delegou os cuidados com sua sobrinha e responsabilidades para com a Coroa. Ele sabe lidar muito bem com os perigos da noite Londrina, mas fica sem ação diante da doce e inteligente governanta de sua sobrinha, que tem olhos dourados como os que assombram os sonhos do conde.

Olá pessoal, tudo bem? Hoje venho trazer mais uma resenha de uma autora parceira do blog, eu já li há um tempo, mas não sabia como expor minha opinião para vocês. Mas pensei, pensei e cá estou eu rs.
            Entre o amor e o coração retrata a vida de dois jovens, Amie uma moça órfã, de uma beleza única, que perdeu tudo que tinha, torna-se governanta/babá para poder ter seu ganha pão, ela tem um passado, que faz com que a mesma tenha medo que venha à tona, além disso, ela faz trabalho voluntário em um orfanato, dando amor e carinho a essas crianças; Connor é um conde que perdeu o sentido de sua vida depois de uma fatalidade, onde se culpa por tal acontecimento, não é tão jovem, mas possui uma beleza de se admirar, depois da morte de sua irmã e cunhado ficou incumbido de cuidar de sua sobrinha, e é assim que  vida de Amie e Connor se esbarram.

“- A senhorita está bem, miss Templeton? Machucou-se na queda?

            Com sua tarefa de cuidar da sobrinha do conde, Amie também acaba mudando a vida do mesmo, trazendo vigor e alegria a muito tempo perdido, e assim eles vão se aproximando e vai surgindo um sentimento tão puro, que é de encantar.

“Por um momento o brilho dos olhos dourados tirou-lhe o fôlego e tudo que o bravo conde de Hallen conseguiu fazer foi admirá-los. Limpou a garganta e sorriu sem jeito.”

            O livro vai conquistando os leitores de uma forma única, pois é um romance histórico que foge do clichê, trazendo reviravoltas impressionantes, e contendo alguns relatos históricos.
            A autora conseguiu elaborar uma história impressionante, fechando qualquer ponta solta e com uma escrita maravilhosa, é um livro de fácil entendimento que prende o leitor do início ao fim. Só o final do livro, que achei que a autora deu uma corridinha, acho que poderia ter tido uma elaboração maior, pois houve algo que o perdão não poderia vir de forma tão fácil como veio. Super recomendo essa história!
            E aí, o que acharam? Espero que tenham gostado e que estejam sempre acompanhando o blog, não se esqueçam de seguir o blog para ficar por dentro das novidades. Beijos, até o próximo post.

Título: Entre o passado e o coração
Editora: -
Edição: 1ª - 2015
Gênero: Romance histórico
Páginas: 363
Avaliação: 4/5
ISBN: -

22/06/2017

de de

Divulgação: Escritor Petrónio Augusto



            Olá pessoal, tudo bem? Hoje, venho trazer mais uma novidade para vocês, o blog acabou de fechar mais uma parceria com o autor, Petrónio Augusto, fiquei imensamente feliz com o convite do mesmo.
            O enredo do livro é bem diferente de alguns romances que eu já li, e fiquei bem curiosa com o que podemos esperar da trama, eu particularmente amo livros que tem como fundo a realeza.
            A obra vocês podem encontrar na amazona, em versão de e-book, se caso tiver interesse é só clicar aqui. Abaixo estará algumas informações primordiais da obra e do autor. Estão curiosos?


Biografia

Petrónio Augusto adora dirigir e adora escrever. E, como tinha falta de tempo, decidiu fundir as duas atividades, desenvolvendo o curioso hábito de escrever livros ao volante de automóveis sem piloto automático. Assim nasceu a primeira trilogia manuscrita ao volante, sobre a Casa Real das Berlengas, a monarquia mais ocidental da Europa.
O autor reconhece como sua principal dislexia a incapacidade para escrever por extenso os números do gênero masculino, mas, existe publicada na sua obra, uma boa razão para isso. Gosta também de investir tardes em aeroportos e bares, a escrever as surpreendentes histórias dos Homens. Deixa aí parte delas, tatuadas em pedaços de papel com o seu endereço de e-mail em rodapé, para que um leitor mais interessado continue a escrita e depois lhe envie a sua opinião.
Petrónio Augusto, nasceu em 1978, em Portugal, é casado e tem dois filhos. É engenheiro, diretor de produção e formador. Dedica-se também à fotografia, tendo realizado várias exposições fotográficas e mais recentemente, quando não está a ler, gosta de inventar o destino das personagens que lhe surgem na mente.


                       O que tem de especial o coração? Toda a gente tem um…

                Reino das Berlengas, a monarquia mais ocidental da Europa, todos já ouviram falar, poucos têm a sorte de o conhecer. Svetlana Kainova, depois de testemunhar um atropelamento, perde o namorado e o emprego, vendo-se forçada a dar um novo rumo à sua carreira de bailarina. James Wigglesworth vive afastado da sua Casa Real, amargurado por não ser rei e dedica-se a estranhos rituais de final de acasalamento.

                Ele dá-lhe flores com um presente adicional, ela dá-lhe, a flutuar nas ondas do Atlântico, garrafas de vodka vazias, rejuvenescidas com cartas de amor… tudo pode acontecer, até que um único evento, seguido de uma SMS e de um telefonema, mudam para sempre as suas vidas…

                Coimbra, Peniche, Berlengas, Lisboa, Entroncamento, Varsóvia, Pequim, Cairo, Berlim, Reykjavik, um enredo abundante em inesperadas bandas sonoras, detalhes de física, suaves notas de história e de anatomia, fotografias e uma pequena música.
Desencontros, perseguições, desejos de vingança, ciúme, suaves intromissões em peças de Shakespeare e de Gil Vicente, jogos de xadrez ao som dos Beatles, eventuais concertos da Berliner Philharmoniker, casamentos com valsas de Strauss e contemplações de pinturas de Picasso…
Nem todos os caminhos para a felicidade são fáceis e serenos. Esta não parece, mas acabará por tornar-se numa irresistível história de amor.

                “A Cunhada e o Gémeo... do engravatado rei do Arquipélago das Berlengas” é o segundo romance da trilogia não oficial da Casa Real da Berlenga. Uma obra manuscrita ao volante, num automóvel sem cruise control, em repetidas viagens pelas autoestradas A1, A8 e A15
.

            E aí o que acharam? Espero que tenham gostado e que estejam sempre acompanhando o blog, não se esqueçam de deixar um recadinho, e claro, seguir o blog para ficar por dentro de todas as novidades. Beijos, até o próximo post.

LINK-ME

Amanda's Tale - Livros
 

REDES SOCIAIS

FOLLOW